PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Estamos publicando abaixo um manifesto do Coletivo de Hip Hop Lutar Armada (RJ) que denuncia a criminalização da arte periférica (grafitte) e dos moradores das favelas por parte da midia comercial burguesa e do aparato repressivo daquele estado. O Coletivo Luta Armada é uma das organizações que está empenhado nacionalmente na construção do Movimento Hip Hop Militante Quilombo Brasil. Aos ( as) camaradas nosso incondicional apoio e solidariedade.

CRIMNALIZAÇÃO DA ARTE PERIFÉRICA

No dia 9 de abril, o jornal O Dia, ao noticiar uma operação policial ocorrida na véspera em três comunidades de Costa Barros, deu destaque a um graffiti de nossa autoria, tratando-o como uma apologia ao crime. O graffiti traz a imagem de um rapaz de touca ninja, sem camisa, descalço e com duas pistolas nas mãos, ao lado da inscrição Projeto Primeiro Emprego, numa alusão à falta de perspectiva que acomete boa parte da juventude favelada, que a empurra rumo à criminalidade antes mesmo de esses jovens terem o seu primeiro contato com o mercado formal de trabalho.
Essa abordagem tendenciosa e sensacionalista induziu não só os leitores, como outros órgãos jornalísticos, e por conseqüência, seus espectadores, a essa leitura.
Nós do Coletivo de Hip Hop LUTARMADA, autores da obra em questão, temos como marca principal a prática da arte como uma forma de provocar a reflexão sobre a realidade imposta aos viventes das favelas e periferias. Como se não bastasse toda a opressão vivida por sermos pretas/os, pobres, moradores e moradoras dessas comunidades precarizadas, agora a nossa arte também vem sendo atingida nesse processo que criminaliza as vítimas da pobreza. A arte como crônica social sempre existiu e não dá sinais de extinção, porém o tratamento que ela recebe pode ir de um extremo ao oposto dependendo da sua origem. Rapazes brancos de classe média como os das bandas Titãs e Capital Inicial nunca tiveram problemas com a policia por cantarem suas músicas Policia e Veraneio Vascaína, respectivamente. Já no nosso caso, não fossem as militantes dos movimentos sociais, teríamos sido presos
por cantarmos a nossa indignação contra a atuação das forças de segurança pública. Nosso graffiti, injustamente atacado pela imprensa burguesa, bem poderia ilustrar músicas como Meu Guri ou Pivete, do grande e adorado astro da MPB, Chico Buarque.
Feito o contato com o autor da reportagem, ele responde ao melhor estilo José Mariano Beltrame – secretário de segurança pública do Rio de Janeiro – dizendo que se o graffiti estivesse na praia de Copacabana seria entendido como uma denúncia, mas como foi numa comunidade violenta como o Quitanda, o graffiti funciona como apologia ao crime.
O titulo da matéria trata do desenho como “Grafite com afronta às autoridades”. Se não tivesse induzindo leitores e leitoras a associá-lo a criminosos, até poderíamos assumir a afronta, pois sabemos que quando utilizamos a nossa arte para chamar as vítima do flagelo imposto pelo estado burguês para debatermos sobre as raízes do seu flagelo, quando nossa arte desperta a reflexão e o senso crítico da maioria oprimida, quando a nossa arte propõe a organização e a reação do nosso povo contra a minoria que nos oprime, é lógico, sabemos que estamos afrontando as autoridades.
A nossa arte até pode agredir, mas, por mais agressiva que ela seja nunca será tão quanto é a nossa realidade.
Como veículo de propaganda ideológica, o tal jornal cumpriu o seu papel. Como artistas comprometidos com a transformação dessa sociedade carcomida pelas injustiças do sistema capitalista, continuaremos cumprindo o nosso.


Coletivo de Hip Hop LUTARMADA/ Movimento Hip Hop Militante Quilombo Brasil

3 comentários:

l0x_x0ll0x_x0l disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
l0x_x0ll0x_x0l disse...

SR LUTA ARMADA ...BALELA ESSE TEXTO ...VCS SÃO TÃO ALGOZES E DISCRIMINATORIOS QUANTO ESSES QUE VCS FALAM ...PINTA O CÚ DE VERMELHO QUE DA PROXIMA VEZ CHAMA MAIS ATENÇÃO ....AGORA O PORQUE DISSO ???
NUNCA MAIS IREI A UMA OFICINA DE DJS PROMOVIDA POR VCS ..SOU MORADOR DE COMUNIDADE TRABALHADOR DE FABRICA E SUJEITO HOMEM E FUI INDRISCRIMINADO POR VCS EM 2005 ...QUANDO UM AMIGO MEU DE LONGA DATA WESLEY NO QUAL CONHECE MINHA FAMILIA ME CONVIDOU PARA PARTICIPAR TAVA PASSANDO POR UM MOMENTO DIFICIL RESOLVI IR E ME ARREPENDI POIS FUI MUITO IRONIZADO E RIDICULARIZADO SEM MOTIVO ... .INCLUSIVE TEVE ATÉ BRIGA COM UM MEMBRO AI DO GRUPO MEIO DESDENTADO ..QUE DISCUTIU COM O DJ E FALU QUE O MESMO PRECISAVA SE TRATAR ...SAI DE CASA POR CAUSA DE DISCUSSÃO ENTRE PARENTE E PRECENSIE E ESCUTEI PALAVRAS SEM NEXO E MOTIVO QUE NÃO PRECISAVA ESCUTAR ME ACUSARAM ATÉ DE MACONHEIRO COISA QUE NUNCA USEI OU PRECISEI SEM PRECISAR DISCRIMINAR QUEM USA ...SAIBA QUE VCS FALAM DE OPRESSÃO MAS SE QUEREM COLOCAR COMO PORTA VOZ DO QUE... E DE DE QUEM VCS NÃO CONHECEM MUITO CUIDADO ...POIS VCS PODEM COMETER UM ERRO MUITO GRANDE..COM FACULDADE MILITANTE OU NÃO COM OU SEM RECURSOS NINGUEM É MELHOR DO QUE NINGUEM ...MUITO CUIDADO AO JULGAR PORQUE VCS PODEM SER TÃO BURGUESES QUANTO ESSES AI QUE VCS CRITICAM DESCULPA A EXPLANAÇÃO AI E OCUPAR O ESPAÇO DA PAGINA ESPERO QUE UM DOS INTEGRANTES DO
''LUTA ARMADA '' LEIAM ESSE TEXTO COM MUITA HUMILDADE OBRIGADO POR ESSE ESPAÇO CONCEDIDO

l0x_x0ll0x_x0l disse...

vcs não chegam nem a um fio de cabelo pelos que lutaram e morreram contra a ditadura no brasil.esses sim são martires porque não eram integrante de ongs e nem comprados pelo vil papel .são ''comupitalistas .''são tão corruptos e sgregacionalistas quanto os que vcs falam