PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

quarta-feira, 22 de abril de 2009

NEGRO COSME, A BATALHA: HIP HOP NA CONTRAMÃO DA GRANDE MÍDIA.








No ultimo dia 18/04 (sábado) a cidade de Caxias foi palco de duas batalhas de break: Negro Cosme, a batalha; e da Difusora. Vendo pelo ponto da quantidade, seria muito bom para o hip hop caxiense, porém estas duas batalhas diferenciam-se tanto no que diz respeito a quem organiza, como também quando se trata dos objetivos. A batalha da Difusora foi organizada pela Rede Difusora de Televisão, que tem como dono, na mais nada menos que a família Lobão (Edison Lobão é hoje Ministro da Minas e Energia) e teve como objetivo, nada mais nada menos que desarticular a batalha Negro Cosme, visto que a Difusora não tem comprometimento nenhum com o hip hop, muito menos com o Hip Hop Militante que a todo custo vem denunciando as mazelas das periferias em todo Brasil. Negro Cosme, a Batalha, foi organizada pelo MINFA e Reação Periférica que são organizações de Hip Hop da cidade de Caxias, sendo o MINFA membro do Movimento Hip Hop Militante “Quilombo Brasil” e teve como objetivo valorizar a cultura Hip Hop e demonstrar que o Hip Hop está muito além de ser um mero movimento cultural, mas sim uma alternativa para a juventude negra e favelada transformar a sua realidade.
Em mais uma das incontáveis correrias que o Hip Hop Militante vem realizando para manter o hip hop como instrumento de mobilização, organização e transformação da juventude periférica, a Batalha Negro Cosme demonstrou que através da organização podemos ir na contramão da grande mídia, pois a Batalha da Difusora tinha todos os dias diversas inserções na TV, ou seja, no quesito divulgação esta batalha já saiu na frente, porém como a Batalha Negro Cosme já é tradicionalmente realizada há vários anos e com enorme sucesso, pois sempre foi construída através da organização da periferia, este ano não deu outra! Mais uma vez foi casa cheia!
A Batalha Negro Cosme contou a participação de 13 crews de b.boys e b.girls, sendo uma, a Enigma Style Crew, formada exclusivamente por b.girls. O ginásio da Volta Redonda ficou lotado para ver os b.boys e b.girls dançando. Estiveram presentes b.boys de Caxias, Teresina e outras cidades próximas.
A Batalha Negro Cosme, não teve apenas break, mas contou com todos os elementos do Hip Hop: a discotecagem ficou por conta de Dj Morcegão (OZN) e Dj 15 (Atividade Interna), o grafite foi feito por Dennis, grafiteiro de Caxias e o Rap ao vivo, com o show do grupo de São Luís, Gíria Vermelha, que teve suas músicas acompanhadas em coro por todos presentes.
O sucesso de Negro Cosme, a batalha, só foi possível devido ao empenho e a certeza de o hip hop tem que percorrer o caminho inverso a grande mídia. Pois a Difusora não tem interesse em mostrar a realidade que é a periferia, mostrar apenas o lado violento, todos os dias ela é responsável pela veiculação do Bandeira 2, programa policial que “queima a favela de segunda a sábado”. Deste modo, compreendemos a importância da Batalha Negro Cosme como sendo mais uma resposta a grande mídia que pensa que o Hip Hop é mais uma moeda de troca nesse mundão capitalista, onde todos somos possíveis mercadoria, inclusive a nossa amada cultura Hip Hop, e como diz o MINFA, diga você também: NÃO A ELITIZAÇÃO DO HIP HOP! Mano



NEM GUERRA ENTRE OS POBRES NEM PAZ ENTRE AS CLASSES!!!

Magrão, militante do Movimento Hip Hop Organizado do Maranhão QUILOMBO URBANO e vocalista do grupo Q.I. Engatilhado

Um comentário:

Anônimo disse...

Destruir o Hip Hop militante do Maranhão não vai ser fácil não meu veio. A cada ataque dos playboys e dos baba ovo de governo o bagulho fica é mais forte.