PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

terça-feira, 7 de julho de 2009

MHMQB: Orgulho de ser periferia, Orgulho de ser Independente, orgulho de ser revolucionário!

Em meio à crise de legitimidade em que a maioria das ONG de Hip Hop governista se encontra nasce uma alternativa que para muitos parecia improvável. Lançado embrionariamente em novembro de 2008 no Maranhão durante as atividades da 3ª Marcha da Periferia, o Movimento Hip Hop Militante Quilombo Brasil (MHMQB) em apenas oito meses de existência tem recebido adesões de organizações de Hip Hop de diversos estados do Brasil (MA, CE, RJ, GO, SP, PI, RGS, etc), além de militantes independentes e de torcidas organizadas de time de futebol.
Em busca de estruturar seus coordenadores, o Hip Hop governista entrou num mar de lama nunca visto antes com parcerias com instituições assassinas como o Banco Mundial que massacra os povos do terceiro mundo, Rede Globo, partidos neoliberais (do PT ao PSDB), até com a polícia existe projetinho faz de conta. Enquanto isso a juventude negra ver seus sonhos mergulhados no mar de sangue da periferia. Muita gente foi para casa decepcionado com tanta sujeira envolvendo um dos mais autênticos e radicalizados movimentos político e cultural que a juventude negra viu nascer desde os quilombos, mas outros mantiveram-se firmes, resistindo aos assédios da mídia, dos telefonemas com ofertas de emprego em algumas dessas ONG , as calúnias e até ironia de que “trabalho de formiga não rende”. Erraram por julgar as formigas pelo tamanho e não pela coletividade de suas ações. Valeu apenas resistir, estamos orgulhosos de ver o MHM Quilombo Brasil caminhando na contramão daqueles que ajudaram a lavar as mãos sujas de sangue dos “Pilatos” assassinos de nossa gente.
O Hip Hop brasileiro começa a reencontrar-se consigo mesmo e com sua honrosa história de resistência. Uma iniciativa do MHMQB que tem recebido apoio de dezenas de movimentos sociais pelo Brasil é a campanha “Pelo Fim da Guerra Interna na Periferia” que denuncia o genocídio negro resultante desses conflitos, a criminalização da pobreza e propõe uma reação organizativa da periferia contra os poderosos. Do mesmo modo nos dias 19, 20 e 21 de novembro deste ano o MHMQB estará promovendo um grande encontro no Maranhão com suas organizações e seus simpatizantes. O objetivo central desse encontro, além da fundação oficial do MHMQB, é desencandear uma reação em cadeia da juventude negra e pobre contra o racismo, o capitalismo e seus representantes. Mas isso só será possível se esse crescimento do MHMQB for multiplicado tantas outras vezes, se em cada canto deste país estiver um hip hop quilombola organizado A história provou que o Hip Hop governista é um projeto fracassado, servindo apenas para encher o bolso de alguns a custa da ilusão da maioria. Por isso chamamos você que acredita na força da periferia organizada, que acredita na autonomia dos favelados, que acredita que a revolução só poderá ser edificada com as mãos dos oprimidos e não de mãos dadas com os opressores, a vir construir conosco essa ferramenta de luta e organização política e cultural da periferia que é o MHMQB.

NEM GUERRA ENTRE OS POBRES NEM PAZ ENTRE AS CLASSES!

2 comentários:

guerrilha disse...

Saudações irmãos

Eu gostaria de expressar sobre a minha total e completa admiração que eu tenho pelo Quilombo Urbano apesar de eu não residir no Maranhão reconheço o incrivél trabalho militante que a organização desempenha sendo extremamente combativa, politizada e agindo como um legítimo instrumento para articulação da juventude negra permitido a criação de um movimento de luta contra o sistema capitalista.

kassan disse...

Eu fico bastante contente em saber dessa iniciativa para construção de uma entidade revolucionária para organizar o movimento Hip Hop infelizmente em Belo Horizonte a cidade a onde eu moro não existe nenhuma ação parecida para fortalecer o Hip Hop porém espero que este cenário se modifique e BH se torne um pólo de militância. Como e típico do sistema capitalista que tem como modelo funcional a exploração ecônomica sobre toda a sociedade o movimento Hip Hop não fica de fora desse processo de dominação realizado pela burguesia que tentar por meio de gravadoras, rádios, eventos musicais, artistas alienados é Ongs se apoderar do movimento retirando dele suas caracteristicas de uma cultura de resistência feita por indivíduos oprimidos. Eu como sendo um militante negro é socialista afirmo que tenhos que manter este movimento sobre o controle da juventude negra e pobre sempre em sintonia com uma ideologia politizada de luta social. O Hip Hop e revolucionário por sua origem e por isso não pode jamais se tornar uma simples expressão cultural subjulgada e explorada pelo capitalismo vamos usar a cultura como uma eficaz arma para criarmos a revolução neste país.


Eu deixo o meu E-mail pessoal para comunicação :

Paulo.kassan@yahoo.com.br