PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

O Hip Hop, a Esmola e os Mendigos Políticos.


O Hip Hop, a Esmola e os Mendigos Políticos.


Enquanto nos dirigimos ao branco, mendigando com o
chapéu na mão nossa emancipação, estaremos lhes
dando mais autorização para que continue com seu
sistema racista e opressor. Quando alguém se recusa a
fazer exigências e preferi ir á mesa-redonda mendigando
sua libertação, estará traindo o desprezo daqueles que
tem poder sobre ele. por isso precisamos rejeitar a tática
de mendigos que estamos sendo forçados a usar por
aqueles que querem aplacar nossas senhores cruéis, é
aqui que a mensagem e o grito da SASO: “negro você
está por conta própria” se torna relevante ( Steve Biko
Escrevo o que eu quero p. 133).

Esse trecho de Steve Biko é tão atual que parece que foi escrito ontem. E é essa atualidade que nós faz refletir sobre as táticas que no presente o velho capitalismo através de seus velhos novos representantes utilizam para controlar o movimento Hip Hop e por tabela a juventude negra das periferias do Brasil.
antigos militantes do Hip Hop que hoje estão acorrentados ao dinheiro do governo Lula, da burguesia branca e do imperialismo norte-americano através de seus organismo ( Banco Mundial, UNESCO, Rede Globo, Criança Esperança) tem criado a ilusão de que “se juntando ao inimigo poderemos derrota-los”. Mas eles apenas difundem essa ilusão entre os desinformados, pois no fundo sabem que isso e impossível. Usam a juventude em proveito próprio, pois tem dinheiro sujo jorrando na jogada.
Nos últimos vinte anos o Hip Hop desencadeou um processo de organização e conscientização da juventude deste país de deixar Roberto Marinho, Silvo Santos, Bispo Macedo, e toda a corja que controla os meios de comunicação de queixo caído.
Mas, assim como no Brasil colonial, o Hip Hop também criou seus capitães do mato, ou seja, os pretos que atuam por dinheiro por dentro do Hip Hop a serviço dos senhores de engenho do grande capital, para combater a resistência que o imperialismo e a burguesia brasileira não conseguiram destruir durante todo esse tempo.
Parece mentira, mas tem ONG de Hip Hop que para continuar recebendo dinheiro do “ criança esperança” e do governo Lula, finge não ver as atrocidades que o exercito brasileiro está cometendo contra os morros do rio de janeiro para garantir a “segurança” playboyzada que veio assistir o PAN e curti as praias daquele esta. Pretinho tem que ficar quietinho no morro até o PAN acabar, enquanto os dólares transitam livremente no mercado pan-capitalista do asfalto.
Ao invés de denuncia tudo essas ong´s esmoleiras preferem se unir ao inimigo e bater um basquete ao som do rap num guetinho qualquer que os organizadores do PAN reservam para que não fiquem chateados. Malcolm x realmente tinha razão “ a divida é uma passo para a escravidão”.
Ironia a parte, o que esses senhores, ou melhor, esses capitães do mato de calça larga e bombeta estão fazendo com a juventude negra é um CRIME.
Pior ainda é saber que o Hip Hop virou caça-níquel de ongueiro. muita gente. muita gente que tinha se afastado do Hip Hop, da militância política, ou mesmo aqueles que nunca viram co bons olhos o visú e a indignação do discurso do Hip Hop, agora tão do tipo urubu sobrevoando a favela vista como se fosse uma bela carniça folheada de ouro. Quem disse que pobreza, violência, racismo e não da dinheiro?
Certamente vão te oferecer gravação de CD no estúdio da desinformação, spray pra fazer grafite no murro da prisão as tua consciência ou um passaporte para dançar break na roda da ilusão.Fique atento parceiro, pois quando a esmola é muita o santo desconfia. Nada disso vem de graça.
Será mesmo que esse povinho merece ser chamado de Hip Hop? Steve Biko nos ensina que nem todo mundo que tem a pele escura tem negritude. A negritude para ele dependia do posicionamento político do individuo. Quem fosse conivente com o governo racista, independente da cor de sua pele, para ele não passa de um traidor.
O mesmo cabe para o Hip Hop no momento atual. Ser do Hip Hop não e só saber cantar rap, dançar break e fazer grafite. Quem ta fazendo isso a serviço do inimigo não ta fazendo Hip Hop, mas sim pilantragem. Pelo fato de terem colocado suas cabeças a venda tão facilmente, acreditam que todo mundo também esta a venda. E a sua quanto vale?
lembre-se o Hip Hop no maranhão sempre se mostrou como resistência a tudo isso, uma pedra no sapato do Hip Hop Cinderela e seus financiadores.
Em todos os estados do Brasil sempre houve uma aposta no Hip Hop do maranhão. Somos um dos poucos estados do Brasil que consegue, na atualidade, fazer importantes atividades sem dinheiro sujo de ongueiro, governo ou da televisão.
Mas o efeito el nino que reduziu o Hip Hop militantede outros estados as cinzas, quer também pulverizar o Hip Hop do maranhão, para transforma militantes sérios em mendigos políticos.
Desconsideram nossas lutas, nossas conquistas, nossas derrotas, nossas vitórias, nossas correrias cotidianas, em fim desconsideram toda nossa história.
Não parceiro, o Hip Hop não é um cofo de farinha aonde qualquer um vem de qualquer lugar e mete a mão de qualquer jeito. E nem muito menos periferia é um grande mercado de compra e venda de consciência política. Há séculos atrás os traficantes de escravos negociavam nossas cabeças em praça pública, agora querem negociar nossas consciências.
Mais do que nunca é necessário construir a resistência para que o Hip Hop do maranhão não se transforme em mais um produto cultural nas mãos dos mendigos políticos do capitalismo. Dizer um não bem grande a essa corja de oportunista é antes de tudo também dizer um sim a resistência da periferia e seguir em frente na luta contra a playboyzada, o governo e o imperialismo que estão financiando os novos capitães do mato do Hip HOP Brasileiro.
Como dizia Steve Biko “NEGRO VOCÊ ESTÁ POR CONTA PRÓPRIA“.

MOVIMENTO DE HIP HOP ORGANIZADO DO MARANHÃO “QUILOMBO URBANO”

Nenhum comentário: