PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

quarta-feira, 5 de março de 2008

POLICIAL VAZIO É OFICINA DA “TROPA DE ELITE”


P/ Hertz da Conceição Dias


Há mais ou menos um ano e meio eu e dois amigos fomos agredidos e detidos por quatro policias da Força Tática no bairro da liberdade. Na ocasião, eu estava dirigindo um veículo Corsa Classic 2006 de minha propriedade. Após esse acontecimento ocorreu o linchamento do artista Gerô, o assassinato do professor Flávio Bezerra, do jovem xx do Jardim Tropical e mais recentemente o assassinato do também artista Carlos Negão do Laborart. Todos eliminados por policiais civis e militares. Esses casos provocaram manifestações públicas e, por incrível que pareça, na maioria desses atos estavam presentes, ostensivamente, os mesmos policiais que nos prenderam no bairro da liberdade. Isso prova que há uma relação intrínseca entre os macro-poderes do alto comando da polícia e do governo do Estado, com os micro-poderes pelo quais esses policiais são investidos para agirem na periferia. Há um mês atrás o coronel Melo afirmou a uma emissora de rádio que “ o problema do bairro da liberdade é drogas e armas”. Ora, se esse é o problema, a solução é simples: repressão, repressão e mais repressão, e não infra-estrutura, geração de emprego, moradia decente, educação de qualidade, cultura e lazer. Talvez seja por isso que o senhor Jackson Lago, que ataca direitos dos professores, tenha tanto orgulho de publicar que foi o governador que mais investiu em armas, viaturas e policiamento na história do Maranhão. Na Liberdade, bairro onde reside a maioria dos meus amigos (e não e envergonho disso) houve um endurecimento na relação da polícia com a comunidade nas chamadas “batidas de rotinas” (acredito que nessas localidades deveriam ter também “batidas” de professores, médicos, assistentes sociais, de geração de emprego, etc.). Empolgados com ação enérgica e truculenta do capitão Nascimento do filme Tropa de Elite, muitos policiais, que nos quartéis já sofreram uma lavagem cerebral que os ensinam a odiarem negros e pobres, passaram por um novo processo de lavagem cerebral: a cinematográfica. Alguns jovens da Liberdade têm comentado que em suas abordagens a maioria desses policiais parece que incorporam o espírito do Capitão Nascimento do filme Tropa de Elite. Para se ter uma idéia, um dos amigos que fora detido comigo, só nos últimos meses foi várias vezes vítimas de humilhações por parte da polícia militar. Em um desses finais de semana chegou inclusive a ser conduzido em uma viatura da Força Tática para o plantão da REFESA. A acusação é sempre a mesma, DESACATO A AUTORIDADE, que virou sinônimo de RECLAMAR POR DIREITOS. De acordo com a lei Afonso Arinos, racismo é crime inafiançável e imprescritível, mas com a impunidade da onipotente força repressiva este crime está se transformando numa prática interminavelmente reincidente. Imagine isso associado ao espírito diabólico do capitão Damasceno (que não mata político corrupto, juiz de aluguel, empresários sonegador de impostos, nem “estoura” mansão de traficante da elite) ocupando a mente lavada e vazia de policiais “despreparados” e empolgados com filmezinhos reacionários patrocinados pela Rede Globo. Salve-se que puder! Ou quem quiser dar um basta nessa situação deve participar de organizações que atuam em defesa da juventude e dos trabalhadores negros e pobres que residem nos bairros da periferia. Por isso, lhes fazemos um convite: venha ser mais um guerreiro ou uma guerreira do Movimento Hip Hop “Quilombo Urbano”. Pois, se para a polícia e a burguesia as portas das cadeias e dos cemitérios devem estar sempre abertas para quem é negro ou pobre como você, nós do Quilombo Urbano convidamos você a entrar pelas portas da revolução da periferia contra a opressão da burguesia.

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá pessoal muito maneiro o blog d vcs. Mas naõ é exatamente sobre ele que quero falar. Sou Rosélia Falcão, apresentadora de um programa chamado JOVEM NA TABA, que vai ao ar todos os sábados às 6h da noite na Rádio Timbira Am. Junto comigo, está Hugo Viegas; somos estudantes de jornalismo da UFMA.A cada sábado levamos um tema p/ ser discutido no programa . Neste sábado, 29/03 pretendemos abordar o RACISMO. Quero saber da possibilidade de algum representante do Quilombo Urbano, do Movimento Hip-Hop vir ao programan para um debate. Conheço o Magrão,mas infelizmente não consegui o contato com ele; por isso a demora. Nosso e-mail é jovemnataba@gmail.com

Aguardo retorno
Abraços
Rosélia Falcão