PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

NÚCLEO DE MULHERES DO QUILOMBO URBANO "PRETA ANASTÁCIA."


LUTAR, CONSTRUIR, TRANSFORMA

Dia-a-dia ao longo dos nossos 20 anos, tentamos transformar o universo masculinizado do Hip Hop em universo coletivo, onde homens e mulheres despertem para a importância da participação feminina. Tendo em vista qual tipo de participação tomamos como corretas. Se aquela do tipo tradicional burguesa, que explora a imagem da mulher como mero objeto e reforça a apropriação mercadológica que o capitalismo quer do hip hop; ou uma participação ativa e politizada, combatendo o machismo dentro e fora do Movimento, denunciando as desigualdades sociais e o conjunto de valores que reforçam o pensamento de que somos inferiores.
O hip hop, em sua essência, é revolucionário e as mulheres que estão inseridas no movimento têm como tarefa se organizarem e criarem formas de abrir portas e chamar pra correria aquelas que se aproximam de alguma forma do movimento e barram por falta de estímulo, segurança, ou acham que é coisa de homem, etc.
O Hip Hop tem que inserir em seu conteúdo o universo da mulher de periferia e conscientizar todos e todas que o descaso social, na marginalidade, na violência, no racismo, é sentido pela mulher de forma profunda. Essa inserção tem que partir primeiramente da união e organização das mulheres da periferia, negras e excluídas, deixando de lado vícios burgueses que aprendemos durante toda vida. Como “a neguinha que fala mal da outra”, desunião, sem saber que a conseqüência desse comportamento na periferia é a desorganização. E para que a gente esqueça que todas as mulheres e homens pobres recebem uma herança social: A MISÉRIA.
Precisamos saber que não somos nós os responsáveis por ela. O capitalismo precisa ser destruído para que nossos filhos cresçam numa sociedade justa e não enquanto marginais espancados pela polícia. Que a saúde seja para a população, não só pra quem tem dinheiro. Para que a educação de nossos filhos tenha qualidade total, que é direito nosso. Para que a política coloque o povo que sustenta a nação através do trabalho em 1º lugar e não os banqueiros e grandes empresários.
A união das periferias é necessária.
A organização das mulheres é urgente.
É preciso entender que mulheres e homens são vitimados pela sociedade capitalista e têm que aprender que estamos juntos nessa luta.
NÚCLEO DE MULHERES DO QUILOMBO URBANO
"PRETA ANASTÁCIA"
Para mais informações: (98) 88532537
Comunidade ORKUT Núcleo Preta Anastácia

Um comentário:

Anônimo disse...

PARABÉNS PELA MATÉRIA IRMÃS ANASTACIAS. ESSE ÉO CAMINHO PARA MUDRAMOS A CARA DESSE HIP HOP MACHISTA E DESTE MUNDÃO CAPITALISTA.