PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

O QUE OS NEGROS BRASILEIROS TÊM A HAVER COM OS PALESTINOS NA FAIXA DE GAZA ?

“Eu vejo o passado enraizado no presente” (Gíria Vermelha)

No dia 21 de dezembro mais dois militantes do Movimento Hip Hop “Quilombo Urbano” foram espancados pela polícia de Jackson Lago, com esse sobe para oito o número de militantes dessa organização vítima do Estado policial deste governo. Três dias depois (24 de dezembro), Israel iniciou uma das mais sangrentas ofensiva contra o povo palestino na Faixa de GAZA. Contudo, as coincidências não param ai.
Os negros, desde a época da escravidão, vêm resistindo bravamente às diversas formas de extermínios praticados pelos capitalistas. Organizaram fugas, insurreições, revoltas, quilombos, capoeira, Hip Hop, etc. Após a falsa abolição alguns intelectuais racistas, como Oliveira Viana, previam que os negros desapareciam em menos de 50 anos. Não foi fácil, mas resistimos.
Do mesmo modo, os Palestinos tem resistido na Faixa de Gaza ao massacre do Estado de Israel. No final do século XIX a burguesia petrolífera judaica, em meio a uma grande crise capitalista, resolveu incentivar a imigração de trabalhadores judeus para Oriente, sob a alegação de retorno a “terra prometida” conforme consta na bíblia. Desde então o Estado de Israel, que possui um dos exércitos mais poderosos do mundo, tem exterminado, aos olhos do mundo, o povo palestino. Tudo isso, com o apoio do imperialismo Inglês e depois dos Estados Unidos. Tal como os negros, os palestinos tem resistido bravamente com mobilizações, greves, guerrilhas, homens bombas, etc.
Enquanto os negros foram arrancados da África para serem massacrados em solo brasileiro, os palestinos estão sendo massacrados em seu próprio solo. Cinicamente, os Estados Unidos, que arma Israel até os dentes, exige que o povo palestino entregue seu precário armamento.
Se no Brasil colonial as elites da época tentaram fazer de tudo para destruir os quilombos, pois representavam ameaças ao regime escravista e uma forma de organização social igualitária, o incentivo a criação do Estado racista de Israel tem também dois objetivos bem parecidos: 1- Afastar os trabalhadores judeus da influência do pensamento socialista que crescia pela Europa principalmente depois a Revolução Russa. 2- Controlar uma das regiões mais rica do mundo em recursos naturais, que é o Oriente Médio.
Entretanto, essa mesma burguesia judaica se negou a ajudar os judeus que morriam nos campos de concentração nazista. Na verdade a construção do Estado de Israel em 1948 no oriente médio e o massacre e a expulsão de mais de 70% da população árabe da região da palestina nada tem de religioso, é puramente imperialista. Não foi atoa que o grupo judeu e petrolífero Rothschild foi um dos principais incentivadores da criação do Estado de Israel.
Por outro lado, os métodos que os Nazistas utilizaram para exterminar milhões de judeus na Europa são bastante parecidos com o que à burguesia judaica utiliza para massacrar o povo palestino. Quando os judeus reagiam aos ataques nazistas eram taxados de subversivos e trucidados como animais. Hoje, Israel utiliza inclusive câmera de gás e quando os palestinos reagem são taxados de terroristas radicais, assim como os negros mortos pela polícia nos morros cariocas são sempre “traficantes”.
Durante muito tempo os governos de todo o mundo se limitaram a condenar verbalmente os excessos de Hitler até que a segunda guerra mundial se tornou inevitável. Hoje governos como o de Lula, se limita a condenar excessos de Israel. Diferente do que dizem o que existe de fato é o extermínio do povo palestino que desde o dia 24 já teve quase mil mortos, principalmente mulheres e crianças, enquanto do lado de Israel esse número não chega a 15.

Solidariedade de Classe e de Raça: A atualidade de Marx e Zumbi.
Quando Marx finaliza o Manifesto comunista conclamando “proletários de todo o mundo Uni-vos”, é por que sabia da necessidade de solidariedade entre trabalhadores de todo o mundo para derrotar a burguesia mundial e destruir o modo de produção capitalista. Felizmente, jovens, desempregados e trabalhadores de todo o mundo tem organizado manifestações massivas em defesa do povo palestino e contra o Estado de Israel, de fato Marx tinha razão.
Zumbi dos Palmares, por sua vez, se negou a negociar com a elite escravocrata da época, chegou inclusive a matar Ganga Zumba que defendida o contrário. Do mesmo modo, enganam-se ou mentem aqueles que acreditam que a pele negra de Barak Obama o fará menos assassino do que Bush. Condolesa Rice, por exemplo, tem dado inúmeras declarações criminlizando o povo palestino e a favor de Israel, do mesmo modo que defendeu a invasão do Iraque e do Afeganistão. Por outro lado diversos trabalhadores de Israel estão se opondo ao genocídio em Gaza e se negando a servir o exercito racista de seu país.
O exemplo a ser seguido é o dos Quilombos que reunia negros, índios, mestiços e brancos pobres na luta contra a escravidão e contra todos os seus representantes, independente da cor de suas peles. Façamos então a fusão Marx-Zumbi por um mundo socialista.

PROLETARIOS DE TODAS AS RAÇAS DO MUNDO, UNI-VOS CONTRA O RACISMO E O CAPITALISMO.

Um comentário:

Anônimo disse...

QUEM DIRIA. OS MOLEQUES LÁ DAS QUEBRADAS DO MARANHÃO COM UMA POLITICA INTERNACIONALISTA E CLASSISTA. É NOIS.