PERIAFRICANIA PRODUÇÕES

Loading...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

REUNIÃO APONTA OS CAMINHOS PARA RECONSTRUÇÃO DO HIP HOP MILITANTE BRASILEIRO

No dia 22 de novembro foi realizada no bairro da Liberdade em São Luís uma reunião com diversos grupos e militantes independentes de Hip Hop com representantes de Fortaleza, Teresina, Caxias, Pinheiro e São Luís, onde foi apontada a necessidade de construção de uma entidade nacional de Hip Hop que seja classista, revolucionária e independente dos governos e da burguesia. O atual processo de degeneração política do Hip Hop foi caracterizado como decorrente do enquadramento da maioria das entidades nas estruturas governistas, especialmente depois da eleição de Lula. A alternativa apontada foi à imediata fundação de uma entidade nacional de Hip Hop militante. Alguns princípios foram estabelecidos para a consolidação da mesma como:

1-Que seja uma entidade classista, ou seja, voltada para os interesses dos trabalhadores e dos oprimidos
2-Completa independência política e autonomia financeira perante os governos e a burguesia
3-Que seja constituída por movimentos de Hip Hop e não por ONG’s

Foi proposta ainda que as entidades e grupos de Hip Hop que estão se propondo à construção da nacional empenham-se em realizar um encontro de Hip Hop no Fórum Social Mundial que acontecerá em janeiro de 2008 na cidade de Belém-PA para fundação ou amadurecimento da referida entidade. Alguns chegaram a propor que a mesma se chame Quilombo Urbano, devido o fato desta entidade ter sido uma das poucas que , ao longo dos seus quase 20 anos de existência, não sucumbiu ao aparato do governo e da burguesia e ter acumulado muita experiência política no Hip Hop. Mas, a proposta ficou de ser analisada com mais calma por todos os grupos presentes, inclusive pelo Quilombo Urbano.
Além disso, travou-se um interessante debate sobre a necessidade de se repensar o significado do termo Hip Hop Militante. Deste modo estabeleceu-se que Hip Hop Militante é aquele Hip Hop combativo, independente do governo e do capital, já o Hip Hop que está atrelado ao governo e estabelecendo parcerias como organismos imperialistas (Banco Mundial, UNICEF, etc) e com multinacionais será simplesmente chamado de Hip Hop governista.
Também foi deliberada a elaboração de um manifesto em defesa do Hip Hop militante e denunciando todo o jogo sujo que a CUFA, o Favelafro e o governo de Jackson Lago vem fazendo para tentar enfraquecer o Quilombo Urbano e sua atividades, bem como um chamamento a todos aqueles militantes sérios que gravitam na órbita destas ONG’s a construir uma nova alternativa revolucionária e independente para a juventude de periferia através da cultura Hip Hop

Um comentário:

mucambo disse...

e ai pessoal do quilombo urbano, gostaria de saber quem representa essa articulação aqui em teresina? pela foto eu vi o preto mas e dj 15 do atividade interna são os que estão puxando essa discussão aqui?

WG - do coletivo qi e do grupo AFRONTO.